Os pais posam na frente da câmera com seus trigêmeos recém nascidos – Mas olhe atentamente para os rostos dos bebês

- fevereiro 22, 2018

Mesmo estando em 2018, continuamos vendo como, infelizmente, o preconceito e o racismo prevalecem. Muitas pessoas ainda pensam que as famílias devem ser de certa forma uma verdadeira família.

Aaron e Rachel Halbert foram vítimas desses preconceitos, embora o casal mereça todo o amor e respeito pela sua valente decisão.

Quando Aaron e Rachel decidiram adotar duas crianças afro-americanas, tiveram que lidar com comentários maldosos e odiosos.

No entanto, permaneceram firmes. Estavam determinados a oferecer uma casa para essas crianças que, de outra forma, não teriam uma família. Eles não estavam dispostos a deixar que algo assim ficasse em seu caminho.

A história poderia ter terminado ai, para este novo casal e seus dois filhos, sua vida viraria de cabeça para baixo depois que a família recebesse um anúncio surpreendente.




Aaron e Rachel Halbert sempre sonharam em se tornar pais, mas Rachel teve dificuldade em engravidar. Então eles decidiram adotar dois filhos com pele mais escura, um menino e uma menina.

A decisão provocaria uma tempestade de reações.

"Sabíamos que, especialmente no sul dos Estados Unidos, um casal branco com filhos de pele mais escura provocaria muitas reações. Sempre há uma senhora branca no supermercado que olha para nós com nojo, ou uma mãe afro-americana que nos olha e apenas sacode a cabeça", conta Aaron.


Mas Aaron e Rachel estavam muito orgulhosos de sua pequena família. Quando o casal ouviu falar sobre a adoção de embriões, eles decidiram que queriam ter mais filhos.

Rachel implantou dois embriões afro-americanos que ficaram congelados durante 15 anos

Eles queriam que seus dois filhos tivessem irmãos que fossem como eles.

"Entenderam nosso ponto de vista de que nossas crianças tivesse a mesma cor da pele e decidiram que a melhor opção seria precisamente implantar embriões afro-americanos", escreve Aaron.


Depois de seis semanas, chegou a hora de visitar o médico, em Honduras, para ver como tudo estava acontecendo com seus pequenos embriões.

O que eles não sabiam era que uma grande surpresa os esperava, um dos embriões havia se dividido em dois.

O casal, com seus conhecimentos limitados de espanhol, escutaram com espanto quando o médico perguntou se eles tinham certeza de que eles tinham implantado apenas dois embriões.

"Sim, claro, temos certeza", Respondeu a ele e. “Então eles viram que um dos embriões havia se dividido em dois no ventre de Rachel”, diz Aaron.

Isso significava que Rachel estava grávida, mas não de gêmeos, mas de trigêmeos!



O parto foi bem e rapidamente Aaron e Rachel se tornaram pais de 5 filhos.

"É muito reconfortante ver como a família nos apoiou enormemente em nossa decisão de construir nossa família incomum. Estamos vivendo nosso sonho. Um sonho que talvez não seja o da maioria das famílias, mas de que estamos orgulhosos que forme parte da história do nosso país”, conta Aaron.


"Fiquei muito feliz quando, durante a gravidez, via meu filho e minha filha, com a pele escura e o cabelo encaracolado, beijando a barriga branca da minha esposa. Todas as noites, eles diziam boa noite para as pequenas que cresciam em sua barriga, e agora podem de verdade dizer boa noite a suas irmãs com seus adoráveis rostos".

Trigêmeas preciosas, não são? 



E a descrição que Aaron faz de sua família é muito emotiva.

”Lembro-me de como um amigo que estava passando por um processo de adoção disse que sempre quis ver sua família como uma pequena Nações Unidas. Quando vejo minha família agora, vou ainda mais longe, ouso dizer que nossa foto familiar é um pedaço do céu”.

O amor por seus filhos sempre será mais importante do que o DNA, a cor da pele ou os laços de sangue.

COMPARTILHE esta história que mostra que todas as pessoas são igualmente válidas e que todos os pais têm o direito de construir sua própria família sem preconceitos.

Fonte: newsner
Advertisement