Coletivo holandês cria floresta flutuante feita com material reciclado.

- abril 10, 2018


Se é grande a dificuldade de combinar o crescimento das grandes cidades com a necessidade e manutenção de áreas verdes em centros urbanos – em nome da ecologia, da sustentabilidade e de nossa saúde, física e mental -, um coletivo de artistas holandeses chamado Mothership (“Nave mãe”, em português) criou uma intervenção na cidade de Rotterdam que pode aliviar um pouco a aspereza de se viver em nossas selvas de cimento e ferro: uma floresta flutuante.

Inspirado em uma obra de arte chamada “In Search of Habitus”, do colombiano Jorge Bakker – que consiste em um aquário repleto de pequenas árvores artificiais presas à boias -, o coletivo pretende justamente espalhar 20 mudas “plantadas” sobre boias no porto de Rijnhaven, região da cidade de Rotterdam.

Todo o material utilizado para o projeto será reaproveitado, a partir de velhas boias marítimas inutilizadas, e árvores que seriam destruídas justamente para a construção de novas áreas urbanos.



Um protótipo foi realizado em março de 2014, que hoje já se transformou em uma árvore crescida e saudável, demonstrando a eficiência do projeto – levando, com isso, as autoridades locais a aprovarem a empreitada. O objetivo é estimular o diálogo entre urbanismo e a natureza, e consequentemente sobre o que a natureza provoca na população de uma cidade.




O coletivo espera que o projeto seja adaptado e realizado em diversas locais pelo mundo, introduzindo de maneira simples porém brilhante um pouco de verde no cada vez mais cinza horizonte das cidades.



Todas as fotos © Mothership


Advertisement