Grávida acredita que está esperando gêmeos — mas no ultrassom, médico vê algo incrível.

- maio 01, 2018


Lauren Perkins sempre sonhou em se tornar mãe. Depois de passar um ano tentando engravidar, a ideia de tratamento de fertilidade não parecia mais tão assustadora.

Ela e seu marido, David, decidiram tirar férias na Nicarágua para considerar o próximo passo.

O casal, junto com alguns amigos, falou abertamente sobre suas lutas para conceber. Um deles amigos, um padre, respondeu calmamente:

“Alguém lá em cima tem grandes planos para você. Eu não sei o que é, mas vai ser grande”.

Na época, soou estranho – Lauren logo percebeu que as palavras realmente carregavam algum peso 

Após a viagem à Nicarágua, Lauren voltou para casa no Texas. Ela não pensou muito sobre o que o padre havia dito durante as férias.



Pelo contrário, ela e David tinham decidido uma coisa: queriam experimentar a inseminação artificial; o método mais simples de fertilização assistida.

Porém, Laura estava convencida de que não funcionaria; que ela estava destinada a ser estéril… Mas aconteceu! Lauren finalmente ficou grávida.




Na primeira checagem de rotina, Lauren foi informada pelas enfermeiras que seus níveis de hcg eram muito altos.



Isso significava que havia uma forte possibilidade de que houvesse mais de um bebê crescendo dentro dela. Lauren e seu marido ficaram encantados com a idéia de que poderiam ter gêmeos, ou mesmo trigêmeos! Eles lutaram por tanto tempo para ter um filho que a ideia de ter mais de um era boa demais para ser verdade.



Então o ultrassom veio. O médico, desconcertadom estudou a tela por alguns segundos e deu uma notícia chocante…

O médico disse-lhe calmamente: “Eu contei cinco aí dentro”.


Lauren achou isso impossível.

O médico voltou para a tela e continuou: “Espere um minuto! Acabei de encontrar um sexto bebê.



O casal, muito confuso, olhou para a tela em choque total. Seis!

Lauren e David foram se viram então confrontados com uma decisão difícil: eles poderiam reduzir o número de embriões ou mantê-los todos.



As chances de que todos os seis bebês sobrevivessem à gravidez eram baixas. Ter seis ao mesmo tempo traz uma série de complicações perigosas.



Depois de muita deliberação, Lauren e David finalmente decidiram dar a todos os seis uma chance de viver.



Os médicos prometeram fazer tudo que podiam para garantir que cada bebê fosse entregue com segurança. A equipe fez um grande esforço para evitar complicações associadas ao parto.



 Era o dia. Lauren estava na semana 30 de sua gravidez – crianças nascidas antes da 37ª semana são consideradas prematuras.

Um total de 35 pessoas do hospital se reuniram dentro da sala de parto. Quando o tabalho começou, o médico precisou da ajuda de seis enfermeiras para receber cada bebê que chegava. Não era tarefa fácil, e certamente uma repleta de estresse.



“Eu estava nervosa e animada ao mesmo tempo. Estava começando a perceber que isso era real – eu ia ter seis bebês ”, disse Lauren.




Levou um total de quatro minutos para o parto de todos os seis.

Andrew, Benjamin, Caroline, Leah, Allison e Levi pesavam entre meio e um quilo no nascimento.

Lauren disse: “Eu não esperava ver meus bebês até o dia seguinte, mas a equipe passou por mim no caminho até a UTI, e eu toquei seus dedinhos”.



As crianças não eram saudáveis ​​o suficiente para ficar com os pais nos primeiros dias.

Aos quatro dias de idade, Allison foi o primeiro bebê em uma condição estável o suficiente para ser liberado. Demorou dez minutos para colocar todos os fios e monitores para que Lauren pudesse segurá-lo.

Mas que prazer!



“E naquele momento, quando eu peguei meu bebê, foi quando eu me tornei mãe… de sêxtuplos”, explicou Lauren.

As primeiras semanas foram cruciais. Os pais ainda se preocupavam com complicações que poderiam levar a deficiências ou, na pior das hipóteses, à morte.

Felizmente, todos os seis se recuperaram … lentamente mas de forma segura!



Depois de muitas semanas intensas de amor e carinho da equipe na unidade neonatal, a família conseguiu juntar todos os seus anjos.

Cinco dos bebês conseguiram ir para casa com quatro meses de idade. A pequena Leah teve que ficar no hospital por mais algumas semanas, já que ela era a menor e tinha lutado por espaço dentro do útero.



“Ela estava literalmente enterrada sob todo mundo no útero”, disse Lauren, “então ela não conseguiu o fluxo nutricional correto. Seu cérebro não estava totalmente desenvolvido.



A família teve muito de apoio dos entes queridos, o que os ajudou imensamente quando se trata de superar os períodos mais difíceis.

Tanto da família quanto de completos estranhos tocados pela história de Lauren.

Lauren, claro, tem um grande apreço por toda a equipe médica envolvida. Sem eles, as crianças podem nunca ter sido fortes o suficiente para irem para casa.






“Meu médico foi o melhor possível e sou eternamente grata a ele pelo cuidado que recebi”, diz Lauren. “Além disso, a equipe da NICU ficou horas e horas cuidando das nossas crianças até poderem ir para casa e nos ensinar como lidar com os prematuros. Muitas dessas pessoas têm um lugar especial em nossos corações e família.”



Recentemente, Andrew Noah, Benjamin Luke, Caroline Grace, Leah Michelle, Allison Kate e Levi Thomas comemoraram seu sexto aniversário!

A família se adaptou a um estilo de vida totalmente novo.




“Eu chamo de caos semicontrolado” Lauren disse ao Today.

“Tivemos que ser muito organizados e muito estruturados, especialmente no primeiro ano.”



Os garotos – Andrew, Benjamin e Levi – e duas garotas – Allison e Caroline – estão perfeitamente saudáveis ​​hoje.

Leah, entretanto, teve a vida um pouco mais difícil. Como seu cérebro não se desenvolveu totalmente antes do nascimento, ela sempre vai precisar de mais cuidados. Mesmo assim, ela começou a escola junto com seus irmãos.

“Ela frequenta a pré-escola para crianças com deficiências. Mas ela sempre dá 100 por cento e ri o tempo todo. Ela é o nosso sol!”, diz Lauren.



Que história incrível. Que família incrível!

Desejamos aos seis filhos tudo de melhor no futuro e esperamos ver como eles estarão daqui alguns anos!

Compartilhe e curta se você acha que a história deles é animadora.

Fonte: Newsner
Advertisement