Mãe lança alerta após filho de 10 anos tentar tirar sua própria vida

- maio 25, 2018




Por vezes, a tristeza e o desespero podem tomar conta de uma pessoa, levando-a a tomar medidas drásticas. Foi exatamente isso que aconteceu com o filho de 10 anos de Amber Traxler. O menino tentou tirar a sua própria vida, e agora ele quer contar a sua história para ajudar outras crianças e adultos na mesma situação.

Menino de 10 anos tenta tirar a sua própria vida

“Em junho de 2016, meu filho tentou acabar com a sua vida aos 10 anos de idade. Ele estava passando por um momento difícil, sentindo a falta do pai que morreu um ano antes. No momento em que foi encontrado, ele não tinha pulso / batimento cardíaco. Ele ficou estático, passou quase uma semana no suporte de vida, e não estava mostrando nenhum sinal de atividade cerebral / melhorias.

Nunca em um milhão de anos teria pensado que o suicídio passaria pela cabeça do meu filho. Ele sempre foi um garoto feliz, cheio de vida e amor. Depois que seu pai morreu, ele ficou mais irritado, de temperamento difícil e se irritava rapidamente. Mas achei que não era nada incomum. Pensei que ele estava passando por um estágio como todos os pré-adolescentes, normal para a maioria dos meninos da sua idade. Ele disse que estava tudo bem.”

Família encontra garoto inanimado

O garoto inanimado foi encontrado pela avó, que ficou desesperada perante aquele cenário. “Nunca vou esquecer o jeito que ela gritou. Meu coração pulou pela minha garganta, e soube imediatamente que algo estava errado. Meu filho se enforcou, e a forma como o seu rosto estava ficará permanente na minha mente…

Eu estava com 30 semanas de gravidez na época, da minha filha mais nova, então não havia muito que eu pudesse fazer além de pedir ajuda enquanto a minha mãe e minha irmã o abaixavam. Passei quase 10 minutos gritando nas ruas implorando por ajuda: ‘Meu filho se foi!’ Eu estava em choque! Voltei para o quarto e vi que a minha mãe o fez respirar novamente, mas ele estava lutando.”

Dias difíceis no hospital

Imediatamente, a família levou o garoto para o hospital mais próximo. Os dias seguintes ao incidente foram muito difíceis para todos. “Os médicos nos levaram para uma sala particular e nos prepararam para o que estava por trás das portas fechadas. Ele estava ligado a tantas máquinas e conetado ao suporte de vida… Eu só queria abraçar o meu bebê bem forte, senti que tinha falhado com ele. Como mãe, eu deveria ter visto os sinais de aviso, eu deveria saber, mas não vi!”

“As coisas pioraram para ele antes de melhorarem. Seu pulmão entrou em colapso e os médicos disseram que iria demorar algumas semanas a um mês até que ele começasse a mostrar alguma melhoria.”

“Eu não posso explicar os sentimentos que me dominaram quando ele acordou. Deus ouviu meus gritos e todas as minhas orações… Esta é sem dúvida uma intervenção divina. Ele é um verdadeiro lutador. Ele lutou para sobreviver. Ele tinha marcas de arranhões na parte de trás do pescoço, onde tentou tirar a corda, mas acabou desmaiando e parou de respirar. Deus não só me abençoou com meu filho uma vez, mas duas vezes. Eu estou muito grata”

Criança alerta para os perigos da depressão

Depois de acordar e se recuperar, o menino decidiu contar a sua história, na tentativa de ajudar outras pessoas passando pela mesma situação. “Há três anos, entrei no quarto do meu papai para pedir uma vara de pescar emprestada. Fui até a cama dele para acordá-lo, mas ele estava sem vida. Eu tinha 9 anos de idade. Nunca falei com ninguém sobre como estava me sentindo, apenas dizia que sentia a falta dele, mas não como eu me sentia profundamente por dentro. Com depressão.

Um ano depois, apenas alguns dias após o aniversário de um ano da sua morte, tomei uma decisão permanente de uma emoção temporária. Tentei tirar a minha própria vida. Minha mãe me encontrou e gritou por socorro. Eu não tinha pulso.”

“Eles me colocaram em suporte de vida e, uma semana depois, eles praticamente disseram: ‘É isto. Ele está com morte cerebral. Eles disseram que, se eu acordasse, minha qualidade de vida seria quase nula. Alguns minutos depois de terem aquela conversa com a minha família, eu acordei. Os próximos dias foram um borrão, e eu tive que reaprender coisas como caminhar e me alimentar. Os médicos disseram que medicamente, eu não deveria estar aqui. Eles não podem explicar isto. Ninguém sobrevive ao que eu sobrevivi, ninguém vive para falar sobre isso.”

A importância de falar

“Agradeço a Deus todos os dias por me achar digno o suficiente para me trazer de volta, e não tenho o direto de decidir quando é a minha hora de ir. Estou aqui para que você saiba, você é digno! Não importa quão grande ou pequeno seja o seu fardo, fale com alguém. Não deixe a depressão vencer, existem e existirão dias melhores. Encontre algo que você gosta de fazer quando se sentir triste. Eu vou pescar, depois penso em tudo o que é bom e em como sou abençoado de verdade.”

Este enorme susto serviu de lição para o menino, e agora ele quer que alertar: procure ajuda! A depressão é uma doença silenciosa, que pode levar à morte. Compartilhe a mensagem do menino para que todos possam saber que são dignos de viver, e que todos os problemas podem ser resolvidos. Já diz o ditado, só não existe solução para uma coisa: a morte.

Fonte: Love What Matters
Advertisement