Menina de 8 anos é torturada até perder a vida: dias depois, polícia encontra diário com uma horrível revelação

- maio 25, 2018




Gizzell Ford foi torturada até perder a vida, mas houve algo que ela nunca perdeu: a esperança e o seu enorme coração. Infelizmente, a história desta menina de 8 anos é real, por muito que gostaríamos que não fosse. Mas, enquanto estiver lendo, lembre-se que isto não aconteceu apenas com esta garota… milhares de crianças sofrem o mesmo pesadelo todos os dias, pelo mundo inteiro.

Para a menina de 8 anos, as coisas não tiveram um final feliz. No entanto, esperamos que a sua história seja uma alerta para que mais nenhuma criança precise suportar o que a garota suportou.

Gizzell Ford era feliz, curiosa e inteligente. Ela amava a escola e era muito sociável. Tal como muitas das suas colegas, ela tinha um diário. Mas, em vez de confissões sobre paixões, brincadeiras ou até relatos felizes, as páginas daquele caderno tinham revelações horríveis!

Gizzell Ford perde a vida

No dia 12 de julho de 2013, Gizzell ou “Gizzy”, como era chamada pelos amigos, foi encontrada morta no apartamento imundo da sua avó em Austin, Texas. A menina foi espancada e estrangulada. Para além disso, seus pulsos tinham marcas que mostravam que ela tinha sido amarrada. Nas costas da frágil criança, havia uma ferida tão infetada que estava coberta de larvas.

Alguns meses antes da morte de Gizzell, ela e os dois irmãos foram viver com o seu pai Andre e sua avó Helen. Andre tinha uma doença grave, e precisava de cuidados constantes. Ele não podia cuidar de si mesmo, muito menos dos filhos.

Então, Helen começou a “cuidar” dos netos. No entanto, as páginas do diário de Gizzy mostram como a idosa fez tudo menos cuidar da família

Tormentos nas mãos da avó

Todos os dias, Gizzell era punida por mau comportamentos. Ela fazia agachamentos, ficava em posições desconfortáveis ​​e usava um meia suja em sua boca se fizesse barulho. Para além de tudo isso, a garota era ainda espancada, atormentada e passava fome e sede.

Quando tentava beber água do banheiro, por desespero, ela era espancada da cabeça aos pés. Às vezes, a criança era amarrada à cama e não podia se mexer durante dias. Apesar de tudo o que teve que suportar, Gizzy continuava positiva. No seu diário, ela contava que, apesar de ser punida por se comportar mal, ela esperava se transformar em uma mulher inteligente e bonita. Ela também falava de sonhos… sonhos simples, mas que para ela eram quase impossíveis. Ela queria brincar com seus irmãos e assistir televisão. Até isso lhe foi negado!

Fim da vida de Gizzell

Nos últimos dias de vida, Gizzell fez rabiscos menos legíveis no diário. Depois dos constantes abusos e de passar fome e sede, ela estava ficando cada vez mais fraca. Poucos dias antes de perder a vida, ela escreveu: “Eu odeio esta vida porque agora estou com grandes problemas.”
O corpo da menina estava tão maltratado e frágil que os jurados até choraram ao saber detalhes do caso. O mais chocante de tudo era o seu diário que, apesar de relatar os abusos, falava também de futuro, sonhos e ambições que ela nunca conseguiu concretizar.

O pai de Gizzell morreu de ataque cardíaco na cadeia, enquanto aguardava julgamento por suspeita de ter sido ele a ordenar as punições. A avó Helen foi condenada a prisão perpétua por assassinato. O mais triste de tudo é que a situação poderia ter sido evitada.. Um mês antes da garota perder a vida, uma assistente social visitou a casa onde estava… e nada fez para tirar as crianças daquele lugar horrível!

Se conhece algum menino ou menina numa situação familiar complicada, denuncie antes que seja tarde demais. Compartilhe se acha que nenhuma criança deveria ter que suportar o que Gizzy suportou.

Fonte: Newsner
Advertisement