Açafrão-da-terra: cúrcuma pode limpar seu fígado e “treinar” seu cérebro.

- setembro 19, 2018

A cúrcuma (Curcuma longa), também conhecida como açafrão-da-terra, é uma das especiarias mais populares utilizadas nos pratos do sul da Ásia, especialmente na Índia. No entanto, ela tem se tornado muito popular em todo mundo por possuir muitas propriedades médicas.

Diferente do açafrão comum (Crocus sativus) – embora o nome possa causar confusão – que é um tempero produzido a partir de uma flor de cor lilás, a cúrcuma é um caule subterrâneo (rizoma). Mais barata que o açafrão, quando consumida diariamente, pode melhorar a saúde do cérebro, fígado e prevenir o câncer.

Cúrcuma para a saúde do fígado

Conforme informado pelo HealthyFoodHouse.com, há séculos especialistas estudam o poder da cúrcuma para tratar doenças hepáticas. Eles descobriram que o produto pode ser extremamente útil devido aos seus potentes efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes, capazes de reduzir danos causados pela cirrose (formação de cicatrizes no fígado), excesso de ferro, níveis elevados e tóxicos de álcool no sangue e doenças hepáticas, como a coléstase.

A cúrcuma tem como ingrediente ativo a curcumina, um potente pigmento capaz de reduzir os riscos de câncer do fígado, uma vez que diminui os efeitos de carcinógenos como tioacetamida, no fígado.

Cúrcuma para a saúde do cérebro

Estudos recentes, como este  publicado pelo Annals of Indian Academy of Neurology, descobriram que a cúrcuma pode melhorar a função do cérebro. Isto é, a curcumina é capaz de inibir o acúmulo das placas beta-amiloides (que já foram associadas ao Alzheimer) em 40%. Como possui propriedades anti-inflamatórias, pode ser de grande ajuda para pessoas com Alzheimer, uma vez que reduz os danos causados pela inflamação de agentes oxidantes.

Outros estudos já sugeriram que a especiaria também pode ser útil para o tratamento da depressão.

Para consumir a cúrcuma, você pode misturar o pó em um copo de água quente ou seguir receitas mais elaboradas, como o tradicional “leite de ouro” (ou “leite dourado”), utilizado há séculos na Ayurveda.

Fonte: resilienciamag
Advertisement