Crianças precisam de micróbios, não de antibióticos, para desenvolverem a imunidade – dizem os cientistas.

- setembro 25, 2018


Nós vemos a limpeza como um fator essencial para determinar a nossa qualidade de vida, por isso, assim que vemos o menor sinal de sujeira, já vamos logo limpando, principalmente quando temos crianças pequenas em casa.

No entanto, a ciência diz que o costume, mais comum no ocidente, de deixar tudo limpo demais pode se tornar um problema no desenvolvimento da imunidade das crianças, contribuindo para o desenvolvimento de condições crônicas, como alergias e obesidade.

A ciência moderna nos mostra que essa necessidade de nos livrarmos até mesmo dos minúsculos organismos (micróbios) com sabonetes, desinfetantes de mãos e remédios especializados está causando um impacto terrivelmente negativo no sistema imunológico de nossos filhos. Isso é o que diz Marie-Claire Arrieta, microbiologista e co-autora do livro “Deixe-os comer sujeira: salvando nossos filhos de um mundo ultrapassado”.

A especialista também diz que não temos micróbios quando nascemos, então nosso sistema imunológico está subdesenvolvido. No entanto, uma vez que os micróbios entram em ação, são responsáveis por ativar o nosso sistema imunológico, que só então começa a funcionar corretamente.

Nesse sentido, o excesso de higiene pode ser responsável pelas condições crescentes de alergias, obesidade e doenças inflamatórias, uma vez que as crianças estão cada vez mais longe de micróbios, o que prorroga o funcionamento correto do sistema imunológico. Para os cientistas, a exposição aos micróbios no início de nossas vidas é essencial para despertar nosso sistema imunológico adequadamente, para prevenir o desenvolvimento de doenças como essas no futuro.

Algumas evidências epidemiológicas provam que as crianças que são criadas em ambientes rurais têm menos chances de desenvolver asma, porque têm mais contato com “sujeira”. Isso nos faz refletir sobre como podemos controlar nosso hábito de excesso de limpeza, pelo bem da saúde de nossas crianças.


Outra coisa que estudos encontraram foi que limpar tudo que vai à boca do bebê pode aumentar suas chances de desenvolver asma. No entanto, a incidência de asma diminui se a chupeta é limpa na boca dos pais.

São informações importantes, mas precisamos ser sensatos com esse conhecimento. Diminuir o excesso de limpeza não quer dizer que devamos abandonar medidas básicas, como lavar as mãos, mas precisamos aplicar essas e outras medidas com mais frequência para a prevenção de doenças, como antes comer e depois de usar o banheiro, e não a todo momento.

Fonte: osegred
Advertisement