9 maneiras através das quais você pode estar se boicotando, sem saber…

- outubro 13, 2018



A autossabotagem é uma das formas mais sorrateiras e comuns de tornar nossa própria vida mais difícil.
Racionalizamos certas atitudes e, com isso, acabamos encontrando uma razão justificável para certos comportamentos que, na verdade, nem sempre são autênticos.

Apenas disfarçam a nossa falta de autoestima e um perigoso objetivo totalmente inconsciente: fazer-nos mal. Por que? Porque em algum momento da nossa vida, provavelmente na nossa infância, aprendemos a nos desvalorizar. Pode ser falta de amor, de atenção, ou de validação dos nossos atos pelas pessoas que amamos, fazendo com que  acreditemos em limitações que não existem.

É, talvez não seja falta de capacidade de realizar seus sonhos e sim um ciclo de autoboicote.  Se conhecer alguém que se enquadre em alguma das situações abaixo, dê a dica, pois, autossabotagem é um comportamento difícil de se dar conta por si só.
Aliás, se você é bom em se autoboicotar, provavelmente nem vai conseguir ler o texto até o fim… 

1. Ser muito sincero

Sinceridade tem limite! Passando do limite, pode ser egoísmo e até pura maldade. Mas, em alguns casos, é autoboicote. Isso porque usar a sinceridade como uma faca fere e afasta quem estimamos, fazendo com que o tiro saia pela culatra. Entrar em conflito com colegas de trabalho por comentários francos, mas desnecessários, pode colocar em risco seu próprio emprego. Não se impor nos momentos certos também compromete nosso caráter. Portanto, o melhor a fazer é ponderar antes de falar e evitar que nosso inconsciente  crie um ambiente hostil, reforçando assim o sentimento de inferioridade que carregamos. 

2. Comer demais

Humm… aqueles tentadores brigadeiros ali na mesa. Então, você pega um.  Pega o segundo e simplesmente se descontrola. A culpa parece ser desse delicioso docinho cheio de leite condensado, mas não é. Claro que, muitas vezes, comer compulsivamente pode ser um sintoma de ansiedade. Entretanto, em outras ocasiões, é só uma maneira de nos manter indesejáveis ou prejudicar nossa saúde. Sim, aquela irresistível pizza de bacon com o queijo suculento pode ser só mais uma estratégia de autopunição do seu inconsciente.

 Não é que não mereçamos certas guloseimas, de vez em quando, agora, tornar isso um hábito regado a muito refrigerante para depois se olhar no espelho e sofrer, sem saber por que razão fica impossível se controlar, é apenas uma cilada que criamos para nós mesmo. Então, junta-se a preguiça para praticar atividades físicas e temos o combo autoboicote. Exercícios e boa alimentação têm a ver com autoestima e corpo saudáveis. Achar o equilíbrio é sua responsabilidade, porque comer bem é um ato de amor-próprio.

3. Estar sempre atrasado

Vivemos em um país onde  chegar 15 minutos atrasado significa estar no horário. Existem pessoas que são desorganizadas e irresponsáveis e por isso estão sempre atrasadas em tudo. Compromissos, contas a pagar e prazos. Agora outras usam desse comportamento para se autossabotar. É o inconsciente agindo para boicotar nossa felicidade prejudicando nossas relações na vida pessoal e, principalmente, na profissional. 
Uma estudante também pode se sabotar inventando uma preguiça que não existe com o objetivo de não passar no vestibular. Além do sofrimento que a forte angústia que não tira os olhos do relógio nos causa, somos taxados de irresponsáveis e displicentes, mesmo que não seja a realidade. Portanto, não se deixe dominar por desculpas medíocres. Cumprir compromissos e sua própria palavra é escolher estar em paz. E quem acredita ser merecedor de uma vida de qualidade, tem pressa em ser feliz.

4. Romper limites

Furar fila, pisar na grama, fumar em lugares proibidos pode ser coisa de gente mesquinha ou que tem a necessidade de se autoafirmar. Mas também se enquadra no comportamento de pessoas de baixa autoestima, que ignoram placas de advertência para criar conflitos e se colocar, mais uma vez, na posição de vilão que tanto alimenta seu complexo de inferioridade. E isso pode ser extremamente nocivo nas relações pessoais também.
Pessoas que não sabem ouvir um não acabam transformando a sua vida e das pessoas envolvidas em um caos que vai fazer por onde afastá-las e serem rejeitadas. Ir além de limites de velocidade ou da sensatez é uma tentativa de boicotar a própria vida. A melhor opção é procurar  sempre fazer o que é correto. Porque mesmo optando pela alternativa dentro dos limites sociais, ainda podemos ter problemas. Agora, imagina escolhendo fazer a coisa errada!

5. Fazer piadinha inadequada

O humor está em alta, principalmente na internet. Porém existem pessoas que jogam sua carreira fora com piadas inadequadas. Alguns são sem noção mesmo, mas outros acreditam que vão roubar a atenção, quando, na verdade, estão apenas se boicotando inconscientemente. Aquela piadinha no meio de uma reunião  pode comprometer sua credibilidade. Da mesma forma, ao flertar com uma pessoa atraente.

 Podemos até, genuinamente, acreditar que a intenção era agradar, embora o desejo de nos prejudicar profissionalmente ou boicotar uma conquista esteja lá, subentendido. Na verdade, essas pessoas estão trabalhando pela sua própria derrota, mesmo quando a intenção consciente é de conquista. Então, avalie o momento e a intimidade, antes de querer ser o novo integrante do Canal Porta dos Fundos. Perceba a reação das pessoas. Se suas piadas criam um mal-estar ao invés de graça, talvez seja hora de avaliar se realmente seu lado Costinha não é só mais uma arapuca da sua baixa autoestima.

6. Ser arrogante



 Quando cruzamos com uma pessoa arrogante, a primeira interpretação é de que a pessoa é pedante, dá a si mesma mais valor do que realmente tem e vê os outros como seres inferiores. Mas, pode ser exatamente o contrário. Pense no desprezo que você sente por um ser arrogante. Pois é, algumas pessoas estão exatamente atrás disso.

Elas acreditam que não merecem ser apreciadas e agem dessa forma para perpetuar o desafeto que algum dia aprenderam, até mesmo dentro de casa. Embora as faça sofrer, buscam inconscientemente ser a ovelha negra, seja de que grupo. Espalham prepotência e colhem o ódio que confirma o mínimo valor que acreditam ter. Portanto, da próxima vez que você der um piti, avalie se os motivos são realmente do tamanho da sua reação, ou se você está apenas sabotando a sua agradável personalidade
.
7. Ser egoísta

Nos dias atuais, o egoísmo é o grande mal da humanidade.  Muitas pessoas, simplesmente, não têm o mínimo grau de empatia pelo outro e acabam desprezando todo sentimento alheio. Mas existem aqueles que, sem se dar conta,  racionalizam uma vantagem em ser egoísta, com a finalidade de afastar as pessoas.
Sentem-se pequenos ao abrir mão de algo pelo outro e acabam se tornando medíocres aos olhos desse outro, justamente, por seu egoísmo. Não cedem o lugar usando qualquer desculpa esfarrapada quando 5 minutos em pé não compensam o papel de mal-educado que sua baixa autoestima está tentando lhe fazer  assumir. Fazer o bem pode, inclusive, ajudar a levantar sua autoestima. Então, deixe seu bom coração falar mais alto!

8. Ter relacionamentos destrutivos

Há sempre uma desculpa, às vezes, até fora de lógica para perdoar e continuar no ciclo vicioso e infeliz de um relacionamento destrutivo, quando acreditamos que merecemos um parceiro que nos faz mal. E quanto mais aceitamos, menor é o valor que temos de nós mesmos, porque as pessoas só fazem com a gente aquilo que deixamos.
 Ele não vai largar a esposa, ou parar de lhe bater. Você é dona da sua vida e precisa entender que merece uma relação sadia.
 E se você aceita que a pessoa que devia amá-lo, faça da sua vida um inferno, pode ter certeza que é falta de amor dela e seu próprio, seja um cônjuge, um dito amigo ou algum parente que, infelizmente, não entende o valor da família. Insistir em conviver com essas pessoas é a maneira mais comum de sabotar sua felicidade, porque estar com alguém que não nos quer bem é autopunição. Escolha não sofrer.

Saia dessa. Existem milhões de possibilidades de relações mundo a fora, vide os diversos aplicativos de relacionamento. E se aquele match perfeito não vier, aproveitar a própria companhia ainda pode ser a melhor opção de quem se ama.

9. Fazer escolhas erradas


Bom, nesse quesito não existe muito disfarce. Geralmente nos damos conta de que fizemos a escolha errada. “Eu sabia que ia dar errado”. E sabia mesmo. Apenas não conseguiu escolher aquele caminho que lhe fizesse bem. Fica difícil entender a razão da nossa própria escolha. Repetimos a nós mesmos… “Por que? Por que?” Sem nos darmos conta daquela inerente mania de acreditar que não merecemos a melhor opção: ser feliz.

Sentimentos de raiva e frustração também potencializam o comportamento autossabotador. Então, quando for escolher, seja o que for, tire um momento para refletir e conecte-se com o seu verdadeiro “eu”. Não permita que seu inconsciente lhe coloque em uma cilada fazendo com que sua frágil autoestima traia sua natureza

A bem da verdade, toda situação de autossabotagem, mesmo que de comportamento, passa antes por uma escolha. Se você se sente culpado ou angustiado depois de ter certa atitude, provavelmente vai contra aos seus princípios ou aquilo que verdadeiramente você deseja, e isso é um boicote. A culpa e a angústia são formas que você mesmo tem de dizer a si próprio que precisa se amar. Portanto, perdoe-se por seus erros, aceite que você pode ser feliz mesmo com seus defeitos. Leve sua atenção para as incríveis qualidades que você tem.

 Corra riscos saudáveis. Não antecipe a derrota com medo de não ser capaz de vencer. Entenda que a dor nem sempre precisa fazer parte da sua vida. Diga sim à felicidade. Caso não consiga aprender a se amar sozinho, busque ajuda. Quando se sentir  em paz, fazendo o bem a si e aos outros, pode ter certeza de que você finalmente se apaixonou… por si mesmo. E somente quando conseguimos nos aceitar do jeito que somos e começamos a nos amar de verdade, é que realmente passamos a escolher  o que verdadeiramente nos faz feliz!
Fonte:O Amor
Advertisement