Você não vai se curar voltando para o que o deixou em pedaços!

- outubro 13, 2018




Há um ditado que diz: “Gato escaldado tem medo de água fria”. Isso serve para diversas situações da vida, e significa que aqueles que sofreram com alguma situação, farão de tudo para que ela não se repita.

Você não precisa viver blindado, protegendo-se de sentir demais, amar demais, confiar demais.
Porém, é necessário aprender a se resguardar, a se preservar, a não entregar seu coração para qualquer um, a não expor suas dores de graça nem ser publicitário de suas dificuldades e carências.
Jamais estaremos imunes a sermos machucados pelas circunstâncias da vida.

Viver é um exercício de resiliência e aprendizado, e somente aqueles que não se aprofundam, preferindo viver superficialmente, não se expõem aos riscos. Mas também não vivem. Também não experimentam os desatinos e delícias de amar profundamente; não conhecem o gosto salgado da pele que transpira e dos olhos que choram; não saboreiam a conquista da intimidade e a dor da vulnerabilidade com a mesma coragem.

Porém, às vezes a gente se confunde. E sente falta de um relacionamento ruim por causa das emoções oscilantes que ele proporcionava. Essa adrenalina vicia. Você pensa que sente falta da pessoa, mas o que está fazendo falta é a emoção _ nem sempre positiva _ que a relação despertava em você. E agora que está livre e pode surfar em águas mansas e cristalinas, você se pergunta onde foi parar aquela tempestade que o(a) movia?

Não caia nessa. Você não vai se curar voltando para o que o deixou em pedaços. Você não vai se reerguer reprisando a mesma história dolorosa.


Pois as pessoas não mudam, e aquilo que o(a)machucou e o(a) fez menor do que realmente é, não pode se repetir. Não há segundas chances para aquilo que um dia lhe causou dor e sofrimento. Não há segundas chances para aquilo que algum dia o(a) despedaçou. Só quando você aprender a recusar a dor, vai adquirir amor-próprio. Só quando você desistir de tentar compreender o incompreensível, conquistará uma fé enorme em si mesmo.


O que nos cura não é o retorno para aquilo que nos feriu. O que nos cura é deixar de tentar consertar o que não tem conserto e parar de dar desculpas para justificar nosso desejo de olhar para trás, para aquele lugar de dor e sofrimento.

 O que nos cura é dar um basta à tentação de imaginar que as coisas poderiam ser melhores se a gente tivesse agido diferente.

O que nos cura é nos redimir pelo que não deu certo e seguir em frente dando uma nova chance à bela e dolorosa passagem do tempo…

Fonte:O Segredo
Advertisement