Pessoas com mais de 40 anos só devem trabalhar 3 dias por semana, diz estudo.

- dezembro 04, 2018

Trabalhar de nove às cinco pode ser a norma, mas nunca foi um passeio no parque. Sério, alguma vez você se pegou pensando em uma noite de domingo "Uhul! Amanhã começo mais quarenta horas"? Claro que não, porque completar quarenta horas (ou mais) por semana não é para os fracos. Se fosse, não precisaríamos de finais de semana e de férias para nos recuperar.

Mas as notícias pioram.Pesquisadores recentemente apresentaram algumas sérias consequências relacionadas a longas horas de esforço cognitivo.

A semana de 40 horas ou mais derruba quase todo mundo, mas se você ainda não se aposentou, provavelmente está preso a isso. Ou talvez não — pelo menos, não se você tem mais de 40 anos. Especialistas do Melbourne Institute of Applied Economic and Social Research (Instituto de Economia Aplicada e Pesquisa Social de Melbourne) divulgou recentemente um estudo que sugere que pessoas com mais de 40 anos deveriam trabalhar menos horas por semana, por bons motivos.

O grupo de pesquisa de Melbourne comparou o número de horas que pessoas de meia-idade trabalham com o seu desempenho em testes psicológicos que medem memória a curto prazo e concentração. Adivinha só? Uma semana de 25 horas (aproximadas) de trabalho melhorou o desempenho psicológico, enquanto um expediente mais longo do que isso teve um impacto negativo.

Tradução: três dias seria a melhor semana de trabalho possível para pessoas nesse estágio particular da vida.

Claro, pessoas com mais de 40 anos precisam de estímulo mental. O que elas não precisam é de estímulo demais, porque o excesso prejudica o pensamento, a atenção e a memória.Uma pergunta interessante que fica no ar: como essa nova informação se relaciona à idade de aposentadoria, que se torna cada vez mais alta?

Os mais dedicados podem ter os piores resultados

No estudo, pessoas que trabalhavam mais do que 60 horas por semana tiveram um desempenho cognitivo pior do que as pessoas que não trabalhavam, ponto final!

Não é de se surpreender que essa pesquisa tenha encontrado alguma resistência. De acordo com o professor de economia da Universidade de Lancaster, Geraint Johnes, em uma entrevista para a BBC, como "a pesquisa analisa apenas pessoas acima dos 40 anos, ela não pode afirmar que essas pessoas são diferentes de qualquer outro trabalhador."

Em outras palavras, tecnicamente falando, a pesquisa só pode falar de pessoas acima dos 40 se pessoas com menos de 40 também forem estudadas. Quem sabe? Talvez longas horas de trabalho também afetem os mais jovens.

Conclusão: ainda é possível dizer que os trabalhadores com mais de 40 anos oferecem o melhor do seu cérebro quando têm que trabalhar apenas 25 horas por semana. Parece um bom plano, não é?

Fonte: apost
Advertisement