Você sabe se já sofreu violência psicológica?

- dezembro 08, 2018



Violência psicológica é um tipo de agressão que traz danos ao psíquico e ao emocional, ao invés de machucar fisicamente a vítima.
Este tipo de violência é algo muito subjetivo, eu diria que até subliminar e muitas vezes pode vir de uma forma “velada”.


É algo que atinge o âmago do nosso EU, posso sugerir que chega a tocar nossas feridas internas, mobilizando-nos e paralisando-nos, dificultando uma reação imediata na inserção desta violência.
A pessoa que recebe a crítica sente-se muito sensível no primeiro momento para reagir, fica perdida, fragilizada e refém desta situação ofensiva.


Ela fere o equilíbrio afetivo e a capacidade de tomar decisões.
Um fator que está geralmente ligado à violência psicológica é a dependência afetiva da vítima. A pessoa se submete pelo fato da falta de força para revidar imediatamente, pelo medo da rejeição ou abandono daquela pessoa que, mesmo assim, tem um valor emocional para a vítima.
A carência afetiva e a necessidade de aprovação dificultam ainda mais o posicionamento frente a esta agressão.



Outros fatores que que podem influenciar a decisão de libertar-se daquela agressão psicológica são os fatores externos também associados, como por exemplo: o julgamento da família envolvida, a necessidade pela sobrevivência no trabalho ou o medo de perder a amizade de pessoas queridas, entre outros fatores aprisionadores.



Geralmente, em muitas situações a pessoa que é agredida não pode contar para outros o que está acontecendo, a violência psicológica, não é percebida tão facilmente por falta das marcas físicas.
Passa despercebida pelos outros, até não valorizada, geralmente o agressor sugere a justificativa que a vítima que é a culpada, que exagera, que é muito sensível ou que não foi aquilo que exatamente ele quis dizer, não dá o mesmo peso para a situação, nem percebe o quanto feriu o outro.


Outra questão é que nem sempre própria vítima percebe ou tem a total consciência que está sendo agredida psicologicamente, porque ela está tão inserida no contexto da situação ou envolvida emocionalmente que só perceberá o “estrago” após libertar-se do que lhe agride.
Ela passa despercebida porque não deixa marcas visíveis, além de não ser considerada socialmente tão grave.


De que forma a violência psicológica deixa traumas nas pessoas?
Muitas vezes, estes traumas só são percebidos quando a vítima passa por uma determinada situação similar à que ela sofreu no passado, é então que todos os sentimentos ruins vêm à tona novamente.
Um exemplo: um chefe que fazia assédio moral contra um funcionário, onde ele pressionava o mesmo a dar o tipo de resposta que ele gostaria de ouvir, omitindo o tempo todo a sua opinião pessoal, somente para corresponder ao que o chefe precisava. O funcionário submetido durante muito tempo a este tipo de coerção desperta em si um sentimento de baixa autoestima e insegurança dificultando o seu posicionamento em todos os setores de sua vida, gerando em si feridas internas difíceis de serem cicatrizadas.

 Por Adriana Gandini Pezzuol
Fonte:O Segredo




Quando a pessoa é submetida durante muito tempo a esta violência psicológica, pode-se gerar vários tipos de transtorno, podemos citar: isolamento social, crises de ansiedade e pânico, depressão, baixa autoestima, sintomas de estresse pós-traumático e a apresentar risco de suicídio em maior nível do que os que sofreram violência, em qualquer nível.
Entre os três tipos de agressão, a psicológica foi a mais fortemente associada com transtorno depressivo, distúrbio de ansiedade social e generalizada, dificuldade de formar vínculos afetivos e abuso de substâncias.


Como se dá a violência psicológica no dia a dia das pessoas?
Alguns exemplos: assédio moral por parte do cuidador, imposição de medo extremo, controle coercitivo, insultos graves, humilhações, ameaças, exigência extrema, rejeição e isolamento.
Esse tipo de agressão ocorre no âmbito conjugal, familiar, profissional e pessoal (amigos)?
Sim, em todos os âmbitos de relacionamento.


Geralmente, o agressor tenta inibir o outro ou manipulá-lo para abrir mão dos seus próprios sentimentos e pensamentos em prol da sua necessidade de controle.
A principal ferramenta e causa da violência psicológica é inibir as pessoas, deixá-las sentindo-se impotentes e incapazes de reagir.

As pessoas agredidas costumam até se sentir culpadas, questionando os seus próprios valores.
Sofrer uma violência desse tipo deixa as pessoas mais vulneráveis psicologicamente?
Com certeza, por isso a importância de buscar uma ajuda.
Procure a ajuda de parentes, amigos e profissional (Psicólogo ou Terapeuta).
Tratando os traumas deixados por este tipo de relação, haverá um fortalecimento emocional e a chance de recuperar novamente a sua integridade como ser humano completo.


Advertisement