Recém-nascido é jogado em cesto de roupa suja pela enfermeira do Hospital !

- fevereiro 21, 2019



Por distração, uma enfermeira jogou um bebê em um cesto de roupa suja. O evento insólito ocorreu no Hospital Regional do Gama, em Brasília, em março de 2017. A profissional confessou que não viu a criança nos lençóis sujos.

Esse descuido aconteceu meia-hora após o seu nascimento. O recém-nascido Vitor sofreu uma hemorragia interna devido a uma fratura no osso do lado esquerdo da cabeça. Depois dos primeiros socorros, a criança foi encaminhada para uma ala especial do Hospital de Base de Brasília e se encontrava em observação enquanto esperava por uma vaga na UTI Neonatal.

Pai do bebê faz sérias acusações à enfermeira
De acordo com os familiares, a profissional – com quase 2 décadas de experiência – tinha entrado no leito para retirar os lençóis, aproveitando uma ida ao banheiro da mamãe. O recém-nascido tinha sido deixado em cima da cama. Porém, a enfermeira não viu a criança, juntou os lençóis e jogou tudo para um cesto, com o bebê enrolado.



“A ENFERMEIRA NÃO VIU A CRIANÇA, JUNTOU OS LENÇÓIS E JOGOU TUDO PARA UM CESTO, COM O BEBÊ ENROLADO”

O pai do bebê, Wanderson de Santa Rita, nem quis acreditar quando soube o que ocorreu com a criança. E faz acusações: para ele, a enfermeira estava muito apressada e nem permitiu que as colegas a avisassem sobre a presença do recém-nascido na cama.

“Ele nem consegue mamar corretamente. Agora, está numa incubadora, tomando soro. E tudo isso por causa da enfermeira”, desabafou.

Para o Hospital, o acidente foi uma fatalidade
A direção do Hospital já reagiu, afirmando que esse acidente foi uma fatalidade. Entretanto, a instituição começou uma investigação para apurar todas as circunstâncias do caso. No entanto, não suspendeu a enfermeira, pelo menos até à conclusão dessa apuração interna: “Não temos razões para afastar a profissional, mas é provável que ela entregue um atestado devido à perturbação emocional”, explicou o diretor do Hospital, José Roberto de Deus Macedo.

No dia em que Vitor nasceu, o estabelecimento hospitalar se encontrava abarrotado: estava prevista a realização de 16 partos e havia somente 5 vagas nos leitos. Segundo a direção, a enfermeira foi socorrer uma paciente que sofria de hemorragia. A profissional pegou os lençóis apressadamente para tapar a cadeira e limpar o sangue.

O Hospital não informou se o bebê corre algum perigo.

Relacionado: Mãe tem amamentação interrompida em plena UTI

Compartilhe essa história!
Advertisement