Reclamar demais faz mal para a saúde: a sua e a de quem convive com você!

- fevereiro 11, 2019

Sejamos honestos: ninguém gosta de ficar perto de pessoas que só reclamam o tempo todo. Elas parecem não ter outro assunto, a não ser se queixarem de tudo que lhes acontece, sem nunca observarem as situações por um ângulo diferente, sem nunca perceberem que, mesmo em meio às dificuldades, sempre há motivos para agradecer.
Essas pessoas acabam ficando sozinhas, pois preferimos passar o tempo perto daqueles que colocam um sorriso em nosso rosto e sabem enxergar além dos problemas.
Nem sempre é fácil se livrar do hábito de reclamar constantemente, porque esse comportamento acaba se tornando parte de quem a pessoa é, e libertar-se de características de nossa personalidade, que sempre estiveram conosco, não é algo fácil. No entanto, para vivermos bem, é fundamental liberarmos as reclamações e encontrarmos novas perspectivas de vida.
Steven Parton, cientista e filósofo que escreve para o Psych Pedia, acredita que as reclamações alteram a estrutura do cérebro, facilitando o surgimento de novos pensamentos ruins no futuro, de forma aleatória.
O cientista explica que todas as informações dentro do cérebro fluem de um neurônio para o outro através das sinapses. As sinapses são separadas por um intervalo chamado fenda sináptica. Dessa maneira, quando temos um pensamento, um pulso elétrico sinaliza a sinapse para disparar uma reação através da fenda para a outra sinapse, formando uma ponte para o sinal elétrico.
Em um artigo no Psych Pedia, Steven diz: “Toda vez que essa carga elétrica é acionada, as sinapses ficam mais juntas, diminuindo a distância que a carga elétrica tem que atravessar”, o que significa que, quanto mais reclamamos ou falamos coisas negativas, mais facilmente esses pensamentos serão repetidos pelo seu cérebro.
“Pela repetição do pensamento, você aproxima cada vez mais as sinapses que representam essas inclinações negativas e, quando surgir o momento oportuno, o pensamento que surgirá primeiro será o que tem a menor distância para percorrer, criando uma ponte entre sinapses mais rapidamente”, continua Steven.
Como se já não bastasse o efeito desastroso das reclamações em nosso cérebro, a raiva e a frustração geradas pelas reclamações mexem com o nosso organismo, causando a liberação de cortisol, o hormônio do estresse.


Quando esse hormônio está presente em grande quantidade no nosso organismo, sofremos consequências como enfraquecimento do sistema imunológico, maior pressão arterial e colesterol, além de problemas de memória e de aprendizagem, aumento do risco de diabetes, doenças cardíacas e obesidade, conforme explica Steven.
No entanto, os prejuízos das reclamações não são restritos apenas a quem reclama. Podem afetar também as pessoas com quem convivem. Steven alerta que os malefícios podem ser parecidos para ambas. O motivo é a empatia que sentimos pelo outro, que de certa maneira, nos faz absorver seus sentimentos negativos, programando nosso cérebro para realizar sinapses semelhantes.
As reclamações são realmente inimigas de uma vida feliz, saudável e de conexões positivas. Ao trabalharmos para eliminar esse hábito negativo, não estaremos apenas nos ajudando, mas também às pessoas ao nosso redor.
Compartilhe este texto com as pessoas que podem beneficiar-se com a eliminação das reclamações de suas vidas.
Fonte:O Segredo
Por Luiza Fletcher
Advertisement