Procon de São Paulo quer que Bettina comprove origem do R$ 1 milhão.

- março 20, 2019

O Programa de proteção e Defesa do Consumidor do Estado de São Paulo (Procon-SP) solicitou esclarecimentos à empresa Empiricus sobre a propaganda que vem circulando na internet nos últimos dias, em que a jovem Bettina Rudolph é protagonista.

No comercial, Bettina, a garota propaganda, afirma ter acumulado um patrimônio avaliado em mais de R$ 1 milhão, a partir da quantia inicial de R$ 1.520,00. Desde que o vídeo foi ao ar, vem sendo alvo de críticas nas redes sociais, onde os internautas questionam a veracidade das informações.

O pedido de esclarecimento se enquadra no artigo 36 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), e predispõe que o vídeo seja elucidado, e que a empresa apresente os documentos comprobatórios acerca da veracidade das informações apresentadas no comercial. Além disso, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) avalia a possibilidade de abertura de um processo contra a instituição.

A Empiricus manifestou-se dizendo que não recebeu nenhuma notificação do Procon, e alega que os conteúdos veiculados restringem-se a um convite gratuito para que as pessoas possam saber mais sobre o assunto, não criando, portanto, segundo a empresa, nenhum vínculo de consumo.

O Programa de proteção e Defesa do Consumidor do Estado de São Paulo (Procon-SP) solicitou esclarecimentos à empresa Empiricus sobre a propaganda que vem circulando na internet nos últimos dias, em que a jovem Bettina Rudolph é protagonista.

No comercial, Bettina, a garota propaganda, afirma ter acumulado um patrimônio avaliado em mais de R$ 1 milhão, a partir da quantia inicial de R$ 1.520,00. Desde que o vídeo foi ao ar, vem sendo alvo de críticas nas redes sociais, onde os internautas questionam a veracidade das informações.

O pedido de esclarecimento se enquadra no artigo 36 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), e predispõe que o vídeo seja elucidado, e que a empresa apresente os documentos comprobatórios acerca da veracidade das informações apresentadas no comercial. Além disso, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) avalia a possibilidade de abertura de um processo contra a instituição.

A Empiricus manifestou-se dizendo que não recebeu nenhuma notificação do Procon, e alega que os conteúdos veiculados restringem-se a um convite gratuito para que as pessoas possam saber mais sobre o assunto, não criando, portanto, segundo a empresa, nenhum vínculo de consumo.


Advertisement