600 cães pulam de ponte na Escócia: conheça o mistério desta história.

- abril 09, 2019



A princípio, ninguém parece saber exatamente os motivos que levaram os 600 cães a pularem da ponte. Entretanto, um homem apareceu recentemente dizendo que achou respostas para o mistério milenar.

Relato de testemunha

De acordo com Lottie Mackinnon, dona da cachorra Bonnie, o animal se jogou da ponte sem motivo aparente.

“Primeiro ela empacou, imóvel, e em seguida ficou possuída por uma energia estranha, correu e pulou da beira da ponte”, disse ela em entrevista ao New York Times no dia 3 de abril.

Cães farejadores da PRF posam para foto após apreenderem mais de 15 quilos de droga, em Cascavel

Diante desta história macabra, fica até mais fácil entender o fato dos moradores locais apelidarem a ponte de “ponte onde os cães se matam”.

Mesmo assim, pesar de meio século de histórias e lendas, não há motivos minimamente comprovados para explicar o comportamento dos animais.

Histórias misteriosas

Uma das teorias para este mistério envolve uma “mulher de branco de Overtoun”, que se refere a viúva do industrial James White, que construiu a ponte e um castelo ao lado no fim do século 19.

De acordo com informações, a mulher morou sozinha no local por 30 anos após a morte do marido, em 1908.

Dessa maneira, alguns moradores afirmam que o fantasma da viúva está por lá.

Opinião de um especialista animal

Em 2010, o especialista em comportamento animal David Sands tentou responder a questão, levantando uma velha teoria para tentar explicar as atitudes bizarras dos cães.

Segundo ele, o cheiro de mamíferos abaixo contribui para o comportamento esquisito dos animais.

Além disso, a falta de visão do declive por parte dos cachorros pode torná-los mais ousados.

Loucura né? Como você já deve imaginar, essa teoria é questionada por vários moradores locais, principalmente porque existem outras pontes onde fenômenos assim nunca aconteceram.

Placas de segurança

Placas de segurança foram colocadas no local (Foto: reprodução Topyaps)

De qualquer maneira, para a segurança de todos, placas avisam que a ponte é perigosa, sem explicar exatamente os motivos, foram instaladas no local.

Em 2006, por exemplo, seis cães se jogaram em um período de seis meses. Donna Cooper, uma moradora local, perdeu seu cão exatamente dessa forma em 2005.

O animal, que fez como todos os outros, parou, olhou para baixo e pulou, quebrando diversos ossos.

Ainda segundo algumas suposições, o que parece é que pastores alemães, terriers escoceses e outras raças de nariz comprido são as principais afetadas.

Fonte: ricmais / Renata Nicolli
Advertisement