Médico realiza mutirões de cirurgias de catarata gratuitas na sua cidade como sinal de agradecimento

- abril 25, 2019






O médico oftalmologista Fabiano Brandão, 43 anos, é filho do município de Areia, na Paraíba. Na juventude, foi cursar medicina em João Pessoa, e seguiu para Barcelona, na Espanha, onde fez seu mestrado e doutorado. Não dizem que o bom filho à casa torna?

Uma ou duas vezes por ano, Brandão retorna para Areia liderando mutirões de cirurgias de catarata gratuitas em idosos, além de doar armações de óculos para crianças e adolescentes em idade escolar, 👓 gentilmente cedidas pelos pacientes da sua clínica particular na capital da Paraíba.



Ao Razões para Acreditar, o médico disse que a ação voluntária (ou obra social, como ele chama) é uma maneira de agradecer tudo o que recebeu da cidade! Para Brandão, não existe recompensa maior do que a alegria de pacientes como o Seu Francisco, operado da catarata no olho direito (vídeo abaixo).

“A reação deles é emocionante. Naquele dia, eu operei mais dois pacientes: foram três no total. A gente leva a equipe inteira, tanto para as consultas quanto para as cirurgias, além dos equipamentos. Claro que o hospital da cidade dá apoio pra gente. Nós temos uma relação muito boa com eles”, conta Brandão.







O médico oftalmologista Fabiano Brandão é filho do município de Areia, na Paraíba. Na juventude, foi cursar medicina em João Pessoa, e seguiu para Barcelona, na Espanha, onde fez seu mestrado e doutorado. Não dizem que o bom filho à casa torna? Brandão retornou para Areia liderando mutirões de cirurgias de catarata gratuitas, além de doar armações de óculos para crianças e adolescentes em idade escolar, gentilmente cedidas pelos pacientes da sua clínica particular na capital da Paraíba. Ao Razões, o médico disse que a ação voluntária é uma maneira de agradecer tudo o que recebeu da cidade em termos de estudos e muito mais! Pra ele, não existe pagamento maior que a alegria de pacientes como o Seu Francisco, que voltou a enxergar depois de 7 meses. Arrasta pro lado e assista ao vídeo até o final. Vídeo: Arquivo pessoal
Uma publicação compartilhada por Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar) em



Brandão começou os mutirões três anos atrás, contabilizando mais de 50 cirurgias de catarata (o número de consultas passa de 700). No mesmo período, foram doadas aproximadamente 600 armações de óculos a crianças e adolescentes com problemas de visão e que podem prejudicar seu rendimento na escola.

“Um abraço, um sorriso, é o melhor pagamento. Isso é mais valioso do que dinheiro. Mas depois eles voltam com uma galinha, um saco de feijão… É uma graça! No final do ano, eu tive que trazer um peru no carro. Eles me deram um peru (risos). É de coração, entendeu? É um barato!”, afirma.



No final do dia, Brandão e toda a equipe estão esgotados! Mas um sorriso sincero ou um abraço afetuoso ‘rejuvenesce a alma’, diz o médico com todas as letras.  “É um dia bem cansativo, fisicamente falando. Mas o espírito volta renovado!”









Emocionante



A vontade de fazer o bem sem olhar a quem!




Humilde, até onde alcança sua generosidade, Brandão faz questão de destacar o apoio dos profissionais da sua clínica e pacientes, fundamentais para a realização dos mutirões de catarata e para a doação das armações de óculos na sua cidade natal.



“Todos colaboram! Porque se não tiver a colaboração de todos, a coisa não gira. São várias pessoas colaborando, meus pacientes, funcionários, Areia colabora. Todo mundo colabora!”, ressalta.


Quando a ideia é boa, quer dizer, quando um projeto transforma vidas, como é o caso, não vão faltar pessoas para apoiar: não só de quem oferece ajuda, mas de quem é ajudado também. E, sem dúvida, é muito bonito (inspirador!) ver um filho da cidade à frente de uma ação social tão incrível. 👏👏👏










Não muito comum, mas tudo bem! Brandão consegue voltar para Areia, uma ou duas vezes por ano, porque pode – e ele parece saber disso. Certo é que, a cada retorno à Areia, Brandão pega a estrada para João Pessoa com o espírito iluminado, reconhecendo que toda história tem um ponto de partida./



“É a vontade de fazer o bem sem olhar a quem. Tudo o que eu tenho hoje é por conta dos estudos. Foi em Areia que eu aprendi a ler, escrever. Foi em Areia onde aprendi valores de amor ao próximo. Toda minha educação vem de lá. Areia me deu a base de tudo!”, conclui.


Fonte:Razões Para Acreditar
                  /
Advertisement