Morrie Boogaart, o senhor que já tricotou mais de 8 mil gorros para moradores de rua

- abril 15, 2019



Recentemente, publicamos um texto sobre um senhor que costurava gorrinhos para crianças na UTI. Uma atitude linda e altruísta, que inspirou muitas pessoas a fazerem o bem para o próximo. No entanto, ele não parece ser o único que se dedica a ajudar pessoas necessitadas.


Morrie Boogaart é um velhinho de 91 anos que tricota gorrinhos para moradores de rua.
O senhor Morrie tem câncer e por isso vive em uma casa de repouso, mas ele não enxerga a vida com tristeza. Pelo contrário, tem a missão de espalhar a esperança para todos, e por isso se dedica a amenizar um pouco das dificuldades dos moradores de rua, tricotando gorrinhos para que se protejam do frio.


Até hoje, ele já tricotou mais de 8 mil gorrinhos, que fazem muita diferença para aqueles que não possuem um lar para se abrigar nas noites mais frias.


Esse velhinho muito especial tem a empatia e a generosidade desde sempre em seu coração, e sempre fez a sua parte para ajudar as pessoas em sua vida.

“Quando eu era garoto, se minha mãe me dissesse para pegar um pãozinho da padaria antes de ir para a escola, eu entrava de fininho pela porta de trás, pegava o pãozinho e lavava a louça.”




Foi com sua filha, Karen Lauters, que Morrie aprendeu a tricotar, no ano de 2001, quando se recuperava de uma cirurgia em sua casa. Ele tomou gosto pela nova atividade e mesmo depois de recuperado, não parou de tricotar.



Atualmente, ele passa quase o dia inteiro tricotando, e sabe que isso faz parte de sua missão de vida:
“Deus tem um plano para a sua vida. Você pode vê-lo a cada passo que toma. Eu sou o homem dos gorros. Eu só fiz o que gosto de fazer – ajudar as pessoas.”


“Ajudar as pessoas é que me motiva a continuar. E me sinto bem tecendo os gorros”.





Senhor Morrie, que já foi padeiro da marinha durante a 2ª Guerra Mundial, ajudante da vizinhança e nunca cobrou por nenhuma de suas atitudes é uma grande inspiração para todos aqueles que conhecem a sua história.


O responsável pela casa de repouso onde Morrie vive, Reverendo Luchies, revela que é uma honra poder proporcionar conforto e apoio para ele, no momento da vida em que ela precisa da ajuda que sempre prestou para todos:


“Estamos fazendo todo o possível para ajudar Morrie a ter a melhor qualidade de vida possível” (…) “Estamos controlando sua dor e administrando seus sintomas. Como chapelão, ajudei Morrie a identificar fontes de significado e força para sua vida.”


Lindo demais!


O que você achou da história do Senhor Morrie? Deixe um comentário abaixo e compartilhe esse grande exemplo com seus amigos!

Fonte:O segredo/LuizaFletcher

Advertisement