Mãe suspeitou que o filho de um ano estava ingerindo os remédios após chegar sonolento e sem energia em casa.

- maio 03, 2019







Funcionários de uma creche municipal em Votuporanga, interior de São Paulo,são suspeitos de dopar crianças matriculadas na unidade com remédios tarja preta.







De acordo com informações da Record TV, uma mãe suspeitou que o filho de um ano estava ingerindo os remédios após chegar sonolento e sem energia em casa. A mulher levou a criança ao IML (Instituto Médico Legal) de Votuporanga, que constatou a presença da substância no corpo do filho.



Outras cinco famílias também afirmaram que os filhos apresentaram o sintoma, mas não chegaram a fazer o exame.

A mãe registoru a denúncia. A polícia abriu um inquérito para investigar quem é o responsável pelo crime. Mais de 20 pais já foram ouvidos.



Em nota, a Prefeitura de Votuporanga informou que nenhum medicamento é administrado nas escolas municipais, com exceção daquelas que possuem receita médica.




Segundo a administração municipal, no final do ano passado, a Secretaria Municipal da Educação foi procurada pelos pais de uma criança, que apresentaram Boletim de Ocorrência referente ao mesmo caso. No entanto, na época, não haviam exames médicos ou qualquer outro material com embasamento legal que determinasse providências administrativas. Mesmo assim, a equipe realizou orientações sobre o tema com educadores, técnicos e profissionais das escolas municipais.




A prefeitura acrescentou ainda que "a Secretaria Municipal da Educação segue realizando trabalhos de acompanhamento na unidade e adotando diversas ações de aproximação com a comunidade escolar para esclarecimento de dúvidas".











Fonte:R7
Advertisement