Você se arrepia quando ouve a sua música preferida? Veja por que a ciência diz que você tem um cérebro especial.

- maio 28, 2019


Talvez alguém tenha ficado tão impressionado com sua música favorita, que chegou a experimentar uma emoção que é literalmente "arrepiante". Nada de estranho: aqueles que manifestam essas reações são mais sensíveis do que os outros a entender a música de maneira física e visceral.

Que ouvir uma música que amamos provoca prazer é normal. Por outro lado, a música também serve para nos excitar. Mas quantos de nós, talvez durante um solo, um refrão ou pelo menos o momento culminante de uma música, até mesmo sente arrepios?

É tudo uma questão de fibras cerebrais e nervosas, como mostraram estudos e testes conduzidos por pesquisadores de Harvard, da Universidade do Sul da Califórnia e da Universidade Wesleyan de Connecticut.

De uma amostra de estudantes, dez foram selecionados por serem mais inclinados a sentir arrepios ao ouvir uma música e dez que nunca tiveram essa reação.

Através de varreduras cerebrais obtidas com ferramentas específicas, observou-se que as pessoas que se arrepiam são dotadas de maiores conexões neurais entre o córtex auditivo e o córtex pré-frontal insular anterior e medial, responsável pelas emoções e seu processamento.

O que significa simplesmente que esses indivíduos têm uma estrutura cerebral "fora da norma" específica. As áreas do cérebro onde a audição ocorre e onde as emoções são geradas comunicam-se melhor e com mais força, por isso eles sentem arrepios e emoções fortes quando ouvem uma música.

Estes estudos confirmam cientificamente que a música é um elemento essencial para nós, para o nosso bem-estar e para a nossa cultura. O motivo? Sua escuta, especialmente nas pessoas mais sensíveis, consegue atingir diretamente os centros emocionais do cérebro, causando sensações fortes e únicas.

Fonte:
Advertisement