Entenda a importância de ensinar a criança a esperar

- julho 17, 2019

É necessário que ela entenda que tudo tem o seu tempo


A ansiedade não é um problema particular dos adultos, mas também, cada vez mais, das crianças. Este comportamento ansioso acontece dentro de casa ou em locais públicos e, muitas vezes, deixam os pais e cuidadores sem saber como proceder diante de uma birra causada pela falta de paciência da criança.
Mas, como podemos ajudar os pequenos a serem mais pacientes, a saberem esperar? A paciência não se desenvolve sozinha, portanto, as crianças precisam do auxílio e dos conselhos de adultos para conseguirem administrar a ansiedade. Segundo um texto publicado na Educar para Crescer, não existe fórmula mágica para ensinar a criança a esperar, já que isso deve ser desenvolvido aos poucos através de situações cotidianas.
De acordo com Roberta Reno, especialista em aprendizagem baseada no funcionamento do cérebro pela Universidade da Califórnia e Duke University, e em aprendizagem cooperativa pelas Universidades de Minnesota e de San Diego, a paciência tem se tornado um “artigo de luxo”, principalmente com tanta tecnologia ao alcance das crianças. “Os avanços tecnológicos fazem com que as crianças cresçam num mundo em que as coisas acontecem na hora em que elas querem”, explica.
O querer tudo de imediato, sem esperar, gera a ansiedade infantil. A especialista ainda menciona a formação familiar como fator de contribuição para a falta de paciência das crianças, que sempre têm pressa para serem atendidas. Segundo ela, os casais têm tido cada vez menos filhos, ou somente uma criança, o que faz com que esta tenha exclusividade dos pais e ganhe atenção assim que solicitada.
Como ensinar os filhos a esperar
Ensinar o filho a se tornar paciente envolve situações do dia a dia, como uma ida ao supermercado ou uma espera em um consultório médico. A rotina familiar deve ser seguida e o ‘saber esperar’ ser ensinado naturalmente. Roberta Reno dá alguns exemplos, como o de que em uma situação de espera, os pais podem inventar brincadeiras para passar o tempo – que não envolvam o celular –, como procurar letras, ou encontrar objetos de determinada cor.
Outro conselho é o de que o comportamento da criança é um reflexo do que ela vive em casa. Ou seja, ela não será paciente e não saberá esperar se tiver tudo o que deseja sempre quando pede, ou se acompanhar os adultos apressados a todo momento. O comportamento dos pais reflete em seus filhos.
A necessidade de aprender a ter paciência
Uma criança que sabe esperar se torna uma pessoa mais educada, pois entende que o mundo não gira ao seu redor e vive melhor em sociedade. Para a especialista consultada no texto, as crianças mais pacientes também conversam melhor, já que sabem esperar o tempo de fala do outro para responder, além de conseguirem considerar e respeitar mais as diferenças.
A importância do tédio
Outra dica dada por Roberta é de não acumular tantas atividades nas agendas infantis. Os pais querem ocupar todo o tempo de seus filhos, porém é importante que a criança tenha seu momento de tédio, sua hora de não fazer nada. Segundo a especialista, as crianças precisam vivenciar o tédio para gerar a necessidade da criatividade para fazer alguma coisa interessante, além de possibilitar um descanso ao cérebro.
Fonte: catracalivre

Advertisement