Menina brasileira com síndrome de Down, é capa de revista na Austrália no mês de julho!

- julho 26, 2019

A adolescente de 15 anos Georgia Furlan, foi capa na edição do mês de julho de uma famosa revista australiana.

Georgia é modelo e tem síndrome de Down, nascida em Santa Catarina, essa é a conquista mais recente da adolescente que já foi finalista em um concurso na Europa que escolhia os maiores influenciadores digitais do continente.


Inclusão e diversidade
A catarinense, foi capa da recém lançada revista “Katwalk Kids Fashion Magazine”, que tem como finalidade promover a inclusão e a diversidade na indústria da moda infantil. “Fiquei feliz e muito honrada com esse convite para ser capa da revista. Adorei o resultado final. Fez muito sucesso na escola”, afirmou Georgia ao G1.

Georgia é ativa nas redes sociais seu instagram já conta com mais de 131 mil seguidores, Rubia a mãe da menina, conta que a revista achou a história de Georgia super inspiradora,   e que através dela, poderia ajudar outras pessoas a entender que elas são livres para fazerem o que elas quiserem.

“Desde pequena, gosto de ser fotografada, gosto de roupa chique e fashion. Adoro maquiagem. Também gosto muito do mundo artístico, de cantar, de atuar”, disse a adolescente.

A modelo é muito ativa, além de frequentar a escola, faz aula de patinação artística, canto e teatro. A jovem não esconde qual é o seu maior sonho: ser atriz

“Quero fazer uma novela aqui no Brasil e uma capa de revista aqui também. Só estou esperando o convite”, afirmou.



Rúbia, mãe da adolescente, diz: “ela adora o palco”. “Ela fica super tranquila. Eu é que tenho que segurá-la”.

A mãe conta que engravidou em Boston (EUA) e veio ter Georgia em Florianópolis para que a cunhada fizesse o parto. “Ela já nasceu linda, maravilhosa, perfeita! Era muito delicada. Era nossa primeira filha. Meu marido e eu não notamos nada de diferente nela”, conta Rúbia.

Logo após o parto a equipe não levantou suspeita, somente no dia seguinte que pediatra falou das suspeitas de que Georgia poderia ter características que indicariam síndrome de Down.

“Ainda não tinha 100% de certeza e ela ainda teria passar por um exame chamado cariótipo. Mas nosso mundo desabou naquele momento, porque tudo o que é desconhecido, nos causa medo. Não sabíamos como lidar com a situação”, lembra a mãe.

“Depois que passou o susto, meu marido me abraçou e falou que não importava o que ela tinha, que ela era fruto no nosso amor e que íamos lutar juntos. Acredito que essas palavras foram definitivas naquele momento para nos reerguermos e lutarmos pela nossa filha”, afirmou Rúbia.





Após realmente confirmar o diagnóstico, Rúbia que é jornalista de formação, decidiu dar um tempo na profissão e se dedicar exclusivamente aos cuidados com a filha.“O maior estímulo da Georgia foi em casa. Eu que fazia praticamente tudo com ela. Cantava, dançava, pulava, rolava e foi tudo dando muito certo! E fomos escrevendo nossa própria história, uma história feliz!”.

A modelo reconhece todo o apoio que recebe dentro e fora de casa. “Meus amigos são muito queridos, são carinhosos, adoro esse lado fofo deles. Eu me inspiro na minha mãe porque ela já foi miss. Amo a minha mãe. Amo a minha vida”.

Com informações:G1
Fotos: Leo Munhoz/Arquivo Pessoal
Advertisement