Utilizar ameças para educar seu filho é um grande erro e traz consequências

- julho 09, 2019

Precisa existir uma base forte e positiva quando se trata de educar

A paternidade é uma tarefa muito complicada que requer muita preparação. Apesar disso, educar com ameaças é um grande erro. Existem técnicas eficazes para que as crianças cresçam saudáveis ​​e emocionalmente equilibradas, sem assustá-las.

“Se você não pegar todos esses brinquedos imediatamente, eu não comprarei mais brinquedos para você". Essas palavras ameaçadoras que obrigam as crianças a obedecer são muito comuns. No entanto, educar com ameaças é um erro. O uso do medo para educar tem um mau prognóstico. Portanto, os pais devem se esforçar para não prejudicar seus filhos e, em vez disso, criar uma base forte e positiva quando se trata de educar.

Ameaças na educação de crianças

Muitos pais baseiam sua educação em ameaças. Mas as crianças rapidamente percebem que, quanto mais prometem e ameaçam, menos elas se cumprem. Isso os leva a perder o respeito de sua autoridade, mesmo que não os vejam completamente zangados e perturbados. Isso ocorre porque as ameaças não são realistas. Ou seja, elas são difíceis de aplicar ou quase nunca se realizam.

Por que educar com ameaças é um erro?

Educar com base no medo para alcançar um determinado comportamento é uma base equivocada. No longo prazo, isso terá o efeito oposto pelas seguintes razões:

• Isso cria uma atmosfera de insegurança e desconfiança na família.
• É uma educação autoritária e negativamente anti-pedagógica.
• Envolve alguma violência .
• Não há coerência entre o que é dito e o que é feito.

Consequências sérias para as crianças educadas desta forma

Ameaças não são um bom recurso educacional. Embora pareçam inofensivos, são uma clara demonstração de abuso psicológico . Às vezes, elas são acompanhados por gritos , que podem afetar o comportamento das crianças e o bem-estar psicológico.

Entre suas consequências óbvias, elas empurram a criança para:

• Não se responsabilize por suas ações. É possível ter resposta, mas apenas para evitar punição ou receber um benefício ou uma recompensa.
• Perde-se a credibilidade nas palavras dos pais. Isso porque, em um momento de raiva, as ameaças se tornam tão fortes que, depois, refletindo calmamente sobre elas, vemos que elas são impossíveis de cumprir.
• Perde a confiança em si mesmo. Quando os pais cumprem as ameaças, a criança reconhece que deve temer seus pais e não desenvolve seus próprios critérios e autocontrole.
• Sofre pelo estresse, o que não é benéfico para o seu desenvolvimento emocional.

“As ameaças só mostram que os pais não têm recursos para educar seus filhos.”

3 sugestões eficazes ao ensinar

Para que você tenha autoridade sobre seus filhos, é essencial que haja consistência e integridade entre o que você diz e o que você faz no final.

• Não coloque conseqüências drásticas, porque desta forma a sua eficácia será menor.
• Nunca diga o que você não tem certeza de que irá agir de acordo ou ir até o fim.
• Você deve ser fiel ao que promete, seja para o bem ou para o mal.

Como educar corretamente sem ameaçar?

Tentar controlar o comportamento das crianças escolhendo educá-las com ameaças é um erro. Isso só mostra que os pais não têm recursos para educar seus filhos. Isso revela que eles têm dificuldade em estabelecer limites e não estão conectados aos seus filhos.

Assim, os pais devem eliminar recursos antigos, como:

• Os sermões
• Manipulação e chantagem
• Abuso verbal ou físico
• Recompensas e punições

Em vez desses meios, você deve ensiná-lo que cometer erros é normal, mas que você pode aprender com eles e corrigi-los. Deixe claro que não há erro tão grave que você pare de amá-lo.

Em suma, não se trata de deixar a criança sem castigo, mas deve ficar claro que educar com ameaças é um erro que tem conseqüências negativas de curto e longo prazo. É sobre entendê-lo e ajudá-lo a tirar o melhor proveito dele, não por medo, mas por sua própria vontade.




Advertisement