Menina síria que o pai fazia rir das bombas escapa da guerra: ‘Não há mais explosões’.

- 1:39 PM



Duas semanas atrás, o sírio Abdalla Mohamed, 32 anos, pai da pequena Sawa, 3 anos, gravou um vídeo brincando com a filha tentando acobertar o fato de que a alguns quilômetros de sua casa, uma bomba tinha acabado de cair.

Meses antes, Abdalla, sua esposa e sua filha tinham fugido de Saraqib, na província síria de Idlib. Foram para Sarmada, a cerca de 10 km da fronteira com a Turquia.

Infelizmente, as bombas continuaram caindo. Para amenizar a difícil realidade que rondava a pequena Sawa, Abdalla fez uma brincadeira: pediu para ela adivinhar se o barulho de cada explosão “era de uma bomba ou de um avião a jato”.

Sawa entra no jogo e responde que “é uma bomba”, soltando uma gargalhada ao ouvir o som da explosão (vídeo abaixo).






A gravação foi compartilhada pelo turco Mehmet Algan, que é amigo da família. O vídeo chegou às autoridades da Turquia, que em questão de dias, conseguiram providenciar que Abdalla e sua família pudessem atravessar a fronteira e deixar a Síria para trás.



“As autoridades turcas entraram em contato comigo e nos levaram para a Turquia”, relatou Abdalla à agência de notícias oficial turca Anadolu, que os acompanhou na fronteira.






“Estou feliz”, disse o pai de Sawa ao El País. “Estamos longe da guerra, não há explosões, não há aviões, não há morte. É um lugar novo, não tenho trabalho, mas estou feliz”, afirmou.

Abdalla trabalhava como provedor de serviços de internet em seu país natal.

Uma foto divulgada pela Anadolu mostra a pequena Salwa rindo com um avião de brinquedo na mão. Pai, mãe e filha estão reunidos com parentes e amigos, finalmente protegidos da guerra.









Questionado se pretende voltar para seu país no futuro, Abdalla é enfático: “Se a guerra parar. Caso contrário, não penso em voltar”.

Falando da guerra na Síria, relembre quando Roger Waters usou seu jato particular para reunir mãe e filhos separados pelo conflito.

Compartilhe o post com seus amigos!


Fonte: El País/Fotos: Reprodução/EPV´
Via:RPA

Advertisement