Andrà tutto bene: a Itália combate o coronavírus com o arco-íris da esperança.

- 8:38 AM


Coronavírus: crianças italianas iniciaram uma campanha de esperança contra o coronavírus desenhando um arco-íris com a frase “Andrà Tutto Bene”

A Itália registra hoje mais de 26 mil casos confirmados do novo coronavírus, e mais de 2.500 mortes confirmadas, o segundo maior número, depois da China.

Na tentativa de conter o vírus, a Itália decretou duras restrições à movimentações de pessoas em todo o seu território, incluindo o fechamento de universidade, escolas e creches. Sendo assim, milhares de crianças estão isoladas em suas casas.

Uma atividade comum nas creches e escolas dali, como também daqui, é o desenho e a pintura. Talvez por isso, as crianças foram incentivadas a pintar e desenhar em suas casas e assim “nasceu” um lindo movimento que a cada dia ganha mais adeptos.

Vai ficar tudo bem
Como forma de ocupar o tempo, centenas de crianças começaram a pintar cartazes, papéis, cartolinas e até lençóis com uma mensagem de união e esperança “Andrá Tutto Bene” – “Vai ficar tudo bem” em tradução livre – e, depois penduram em suas janelas, varandas e até vitrines de lojas ou publicaram em suas redes sociais.

É uma mensagem de esperança única que vem ganhando cada vez mais adeptos entre as crianças italianas e já podem ser vistas por todo o lado, em todos os cantos do país.

As famílias também vêm publicando esses cartazes em suas redes sociais, incentivando a adesão da campanha no país.

A ideia foi rapidamente aderida pela população, iniciando uma corrente de positividade não só entre as crianças, mas principalmente entre equipes médicas e atletas.

Força
Ao que parece, a frase “Andrà Tutto Bene” equivale a expressão chinesa “jiayou” (“força”, em português), por causa de um vídeo de uma menina de Wuhan que se tornou viral.

No vídeo, uma menina de nove anos, que se apresenta como Sunny, lê uma carta sobre a situação que vive na sua cidade de Wuhan, epicentro da doença e pede para as pessoas terem força para ultrapassar a atual crise causada pela pandemia do coronavírus.

A carta é escrita em nome da própria cidade, dirigida aos seus habitantes. Escrita e lida em inglês, inclui a expressão chinesa “Jiayou Wuhan!”, que significa “Força Wuhan!” ou “Aguente firme Wuhan”.


Transcrição da carta:

Olá! O meu nome é Sunny. Tenho nove anos

Sou estudante e vivo em Wuhan

Hoje vou ler uma carta chamada: “Carta de Wuhan”

Carta de Wuhan

Cheirei algo de diferente no ar.

Um vento malévolo soprou por mim enquanto dormia.

Ouvi dores e lágrimas

Acabou-se a alegria

O meu Ano Novo foi de silêncio

O meu nome tornou-se uma mancha

mesmo entre os meus irmãos e amigos.

A solidão encontrou-me e, sim,

Estava pronta a desistir e a

dissipar-me no nada.

Mas hoje ouvi uma voz interior

Inaudível, primeiro,

Mas à medida que continuei a escutar tornou-se mais clara.

Disse: “Jiayou Wuhan, Jiayou” [Força Wuhan, Força!

Depois ouvi outra voz.

Depois outra, e depois outra.

Até que se tornou impossível ignorar a voz dos meus filhos

Nas suas fraquezas e dores

Encorajaram-me com gritos e cânticos

Os meus olhos encheram-se de lágrimas

Nem queria acreditar que quase tinha desistido deles.

Mas por entre estas lágrimas estava uma nova esperança

Força suficiente para continuar a lutar

E recuperar o meu belo nome

Não deixarei que o meu nome fique associado a isto

Este horror.

Prometo-vos, meus filhos,

Nós venceremos!

E vocês são a razão

O vosso amor, a vossa força

A vossa dor, as vossas lágrimas

Juntá-las-ei e lutarei.

Jamais desistirei,

Até que os ossos apodreçam

Porque eu sei que não fui abandonado

Venceremos, enquanto cidade.

Venceremos enquanto país.

Venceremos enquanto povo

Jiayou Wuhan! Jiayou Zhongguo!

Obrigada

Não desistam

Marta Achler, advogada de direitos humanos que vive em Florença com sua família foi uma das pessoas contactadas pelo The Guardian para contar a sua história de isolamento. Os seus filhos, diz,

“sabem que estão no grupo de baixo risco, mas preocupam-se conosco e acho que as crianças sabem que os idosos estão em maior risco, então meus filhos preocupam-se muito com seus queridos avós. É por isso que esta experiência é tão importante para eles, e também é bom que eles vejam os seus amigos a participar”.

Uma outra voz que chega de dentro da quarentena é a de Luisella Romeo, uma guia turística de Veneza que todos os dias vê um enorme lençol da sua janela com um arco-íris e um “andrà tutto bene” em letras gordas.

Via: greenme
Advertisement