"É duro ter que lidar com um vírus e um verme", diz Haddad.

- 4:36 PM

O ex-prefeito de São Paulo e candidato derrotado à Presidência em 2018, Fernando Haddad, se manifestou duramente contra seu adversário nas urnas na manhã desta segunda-feira. O político do PT lembrou da crise de coronavírus que se espalha pelo mundo e discordou das ações do governo de Jair Bolsonaro na área de saúde. "É duro ter que lidar com um vírus e um verme, simultaneamente", disse em sua conta no Twitter.
É seguro ficar na fila da vacina da gripe? Tire suas dúvidas

Coronavírus: por que a Alemanha tem uma taxa de mortalidade tão baixa

A campanha na Itália para que pacientes terminais com coronavírus possam dizer adeus a familiares

Olavo de Carvalho: “Essa epidemia simplesmente não existe”

 O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, candidato derrotado do PT ao Planalto, participa de ato em solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizado em frente à sede nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), no centro de São Paulo

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, candidato derrotado do PT ao Planalto, participa de ato em solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizado em frente à sede nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), no centro de São Paulo
Foto: Dario Oliveira / Estadão Conteúdo

As ações de Bolsonaro no combate à covid-19 tem causado muitas críticas. Em mais de uma ocasião, Bolsonaro afirmou que existe um exagero nas medidas de isolamento, chamou governadores de "exterminadores de emprego" e até chamou o coronavírus de "gripezinha". No entanto, o ponto alto das críticas foi quando saiu do isolamento recomendado por médicos e compareceu a uma manifestação pró-governo e contra o Congresso Nacional e STF, inclusive cumprimentando apoiadores e tirando selfies.

Em entrevista neste domingo à TV Record, Bolsonaro voltou a criticar a "histeria" causada pelo coronavírus. "Brevemente o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia na questão do coronavírus. Calma, tranquilidade, não levar pânico à população. Não exterminar empregos, senhores governadores. Sejam responsáveis. Espero que não queiram me culpar lá na frente pela quantidade de milhões e milhões de desempregados".

Via: terra
Advertisement