Cascas de banana podem purificar águas contaminadas por metais pesados, diz pesquisa

- 2:52 PM





Quem diria que as bananas poderiam ser uma excelente ferramenta para a purificação de águas contaminadas por metais pesados?



Compostas de celulose, hemicelulose e lignina, a planta herbácea amada pelos brasileiros possui grupos funcionais que captam o mercúrio da água.

A casca, em particular, é “altamente eficiente na remoção de metais pesados de águas contaminadas, nomeadamente do mercúrio, um metal muito tóxico para a saúde e para o ambiente”, afirmou uma equipe de pesquisadores da Universidade de Aveiro, em Portugal.





Foto: Arquivo pessoal
Qualquer tipo de (casca) de banana
“Pequenas ou grandes, da Madeira ou da América do Sul, tanto faz”, disseram no estudo, publicado recentemente em um periódico científico português.



Os pesquisadores descobriram também que as cascas de banana são eficazes na remoção de outros metais tóxicos, como o chumbo ou o cádmio.

Elas se sobressaem especialmente no caso do mercúrio, o que “as diferencia dos outros materiais biológicos [que também são formados por celulose, lignina e hemicelulose]. Elas são miais ricas em grupos de enxofre e o mercúrio tem elevada afinidade por esse elemento”, explica a investigadora Elaine Fabre, em comunicado.



O estudo conduzido pela Universidade de Aveiro constatou que tratar 100 litros de água contaminada com 0,05 miligramas de mercúrio, de maneira a atingir a concentração segura para consumo humano (que é de 0,001 miligramas de mercúrio por litro), seriam necessários apenas 291 gramas de cascas.

Cascas de banana purificação águas contaminadas metais pesados
Foto: Arquivo pessoal
Eficácia comprovada
As cascas se mostraram eficazes em todos os tipos de águas contaminadas por metais pesados, sejam da torneira, do mar ou de efluentes industriais.










“Os resultados mostram um potencial muito promissor na aplicação das cascas em sistemas reais”, afirma Elaine Fabre, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), num trabalho que envolveu também o CICECO – Instituto de Materiais de Aveiro e LAQV-REQUIMTE, e os cientistas Cláudia Lopes, Eduarda Pereira, Carlos Silva, Carlos Vale, Paula Figueira e Bruno Henriques.

Elaine também explicou como se deve aplicar as cascas de banana para a remoção de mercúrio. “Através de processos de sorção – processos que envolvem a retenção de um composto de uma fase fluída na superfície de um sólido”, que “pode ser realizada em estações de tratamento de águas residuais, em efluentes industriais, ou mesmo em qualquer outro sistema que contenha águas contaminadas.”



Em outras palavras, basta colocar as cascas em contato direto com a água contaminada por um determinado período de tempo.

Uma iniciativa da ONU usa energia solar para levar água potável a refugiados rohingya na Ásia.


Fonte: Jornal de Negócios

Advertisement