Filho de um vendedor de sucata consegue passar em medicina na nona tentativa.

- 4:21 PM


 

Entrar na universidade nunca é fácil, muito menos se você cresce em um contexto econômico e social sem muitas oportunidades. Esta é a história de Arvind Kumar, da cidade de Uttar Pradesh, na índia, cuja persistência é digna de reconhecimento após passar no vestibular para Medicina em sua nona tentativa.


Entrar não foi apenas um sonho para Arvind, mas uma forma de dar uma resposta a todos aqueles que durante anos humilharam sua família.





O pai de Arvind, Bhikhari, que é negociante de sucata, enfrentou constrangimento por causa de seu nome e profissão. No entanto, seu filho queria que sua família se orgulhasse de sua conquista e decidiu se tornar médico. Foi assim que ele calou a boca de muitos.


 

Sua primeira tentativa foi em 2011, fazendo o All India Pre Medical Test (AIPMT). Posteriormente, o exame foi substituído pelo Teste Nacional de Renda e Elegibilidade ( NEET), onde era apresentado anualmente para o exame.



Em 2020, Arvind foi o 11.603 classificado no teste e apesar de ser sua nona tentativa, ele garante que em nenhum momento se sentiu desanimado.


“Eu tendo a transformar a negatividade em positividade e extrair energia e motivação disso. Tudo graças à minha família, minha autoconfiança e trabalho duro constante”, disse Arvind para uma emissora de TV indiana.


O passado da familia

O pai de Arvind só completou sua educação até o quinto ano e sua mãe nunca foi à escola. A família muitas vezes era humilhada apenas por causa de seu nome incomum. Para Arvind, as coisas também não eram fáceis; suas notas não estavam muito acima do mínimo necessário para permitir que ele passasse nos cursos. No décimo ano, passou apenas com 48% das aulas e no décimo segundo ano teve uma ligeira melhora, passando com 60%.


“A melhoria nas notas a cada tentativa foi um raio de esperança que me manteve focado no meu objetivo.”, contou Arvind.




Ele disse ainda que quer se tornar um cirurgião ortopédico e espera ser admitido em uma escola de medicina em Gorakhpur.


“Estou feliz e minha família está orgulhosa de mim porque agora vou ser o primeiro médico em minha cidade de cerca de 1.500 a 1.600 pessoas.”, disse orgulhoso.


***

Destaques Psicologias do Brasil, com informações de UPSOCL.

Fotos: Reprodução/NDTV.

Advertisement