Mais de 300 balsas de garimpeiros invadem rio na Amazônia

- 4:19 PM


 


Centenas de balsas e dragas usadas por garimpeiros foram flagradas no rio Madeira, próximo à comunidade indígena de Rosário, no município de Autazes (AM).





 


As embarcações usadas na extração ilegal de começaram a chegar ao local há cerca de 15 dias, quando surgiu a informação de que havia ouro na região da comunidade.


A invasão dos garimpeiros foi confirmada pelo Greenpeace Brasil num sobrevoo ocorrido na última terça-feira, 23. ”


Constatamos que as embarcações estão efetivamente trabalhando no leito do rio Madeira, extraindo ouro numa região situada entre as cidades de Autazes e Nova Olinda do Norte. Mais especificamente, nas imediações do Rosarinho”, diz Danicley de Aguiar, porta-voz da ONG.


                            Direitos autorais: Bruno Kelly/Greenpeace.


Segundo o Greenpeace Brasil, Rosarinho é famoso por conta de um pequeno porto que é usado por habitantes de cidades como Nova Olinda do Norte, Borba e Novo Aripuanã para pegar pequenas embarcações e ir à Manaus, distante cerca de 110 km.


O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) disse que “tomou conhecimento das denúncias sobre a movimentação das embarcações e que será feito um diagnóstico apurando a real situação no local”. Segundo o órgão, a exploração mineral na região não é perimitida.


Um vídeo publicado no Twitter mostra cerca de 300 balsas e dragas, formando uma espécie de paredão, descendo o rio em direção a terras indígenas.




 

Em nota, o Ipaam disse que comunicou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para alinhar as providências, depois de identificar a presença das balsas mineradoras.


Garimpeiros fazem ameaça

Gravação obtida pelo jornal Estado de S. Paulo revela que garimpeiros planejam uma reação caso p grupo seja abordados pela fiscalização.


“Tem de fazer um paredão daqueles e esperar todo mundo aí. Eles vão respeitar”, diz um garimpeiro na gravação.




 

                                               Crédito: Bruno Kelly/Greenpeace.


O rio Madeira percorre cerca de 3.300 km desde sua nascente na Bolívia através da floresta no Brasil até desaguar no rio Amazonas.



Via:greenpeace


Advertisement