Mulher cria suas próprias roupas no estilo dos anos 40 porque não gosta da moda atual

- 7:24 AM


 

Não há dúvida que nem sempre moda é tendência, às vezes o que se usava no passado volta a ser valorizado pelas pessoas. Cada época foi marcada por algum tipo de olhar representativo com o qual podemos nos relacionar cada vez que falamos sobre ela. Por exemplo, os vestidos ao estilo do Grande Gatsby ou as minissaias dos anos 60.





 

Sarah Goodlad, originária de Leicestershire, na Inglaterra, tem 45 anos e obviamente não viveu na década de 1940, mas com as roupas que usa, ela é transportada de volta aos anos que a cativaram. É através de seus projetos que ela se sente plena e feliz.


“Acho as roupas vintage muito mais refinadas e elegantes do que a moda moderna”, disse a inglesa ao Daily Mail.


Quando Sarah percebeu que as lojas não tinham roupas de seu gosto e estilo, decidiu criar suas próprias roupas. A amante de roupas femininas dos anos 40, começou encomendando tecidos dos Estados Unidos. Pegou agulha, linha e máquina de costura e se dedicou a fazer roupas para vestir.





 

 

Atualmente seu armário está recheado com peças desse estilo, o número sobe para mais de 300, além disso ele gastou quase 7 mil dólares em material. “O mercado do Reino Unido é extremamente caro e a maioria dos meus suprimentos custaria até cinco vezes o que pago nos Estados Unidos”, explicou Sarah ao Daily Mail.


Já se passaram 10 anos desde o primeiro design de Sarah e ela diz que não há nada mais satisfatório do que se vestir do jeito que você quiser, não importa o que as pessoas digam, embora sua iniciativa possa parecer louca para os outros, seu marido a apoia totalmente.




“Sempre adorei história e moda vintage desde que me lembro, especialmente nos tempos de guerra”


Sobre o design, Sarah compartilhou com o mesmo meio que o processo de fabricação leva meses, mas vale a pena porque ficam lindos, e é algo único.




Os estampados, tipos de tecido, maquiagem e penteado são outros fatores que os ingleses levam em consideração ao iniciar cada traje. Ela considera que a elegância é uma característica perdida nos dias de hoje, mas quer transmiti-la através do porte ao se vestir.


“Eu sinto que algumas pessoas simplesmente acordam e nem se olham no espelho.”


Seu estilo e sua presença suscitaram conversas, tanto que já foi confundida com uma trabalhadora de um museu histórico que frequentava com o marido, Sarah longe de se sentir mal com a confusão explicou que é assim que se veste no dia a dia.


A moda deve ser uma declaração de seus gostos e personalidade, além de seguir as tendências do momento, as pessoas devem se sentir confortáveis ​​e felizes com o que vestem.


Você gosta do estilo de Sarah? Você gastaria tanto dinheiro em roupas? Comente e compartilhe.





Via:MF

Advertisement